Você está em: > Hiperadrenocorticismo Canino

Hiperadrenocorticismo Canino

Manifestações clínicas:

Polifagia, polidipsia, poliúria, aumento abdominal, fraqueza muscular, obesidade, respiração ofegante, letargia, pele adelgaçada, calcinose cutânea, alterações reprodutivas.

Exames indicados para diagnóstico:

Teste de supressão com baixa dose de dexametasona, FA, ALT, AST, colesterol.



Teste de supressão com baixa dose de dexametasona:


1. Coletar a primeira amostra sanguínea no início da manhã;
2. Administrar 0,01 mg/kg IV de dexametasona logo após a coleta da primeira amostra sanguínea;
3. Coletar segunda amostra sanguínea 4h após administração da dexametasona;            
4. Coletar terceira amostra sanguínea 8h após administração da dexametasona. Dosar cortisol nas 3 amostras sanguíneas.

Teste de estimulação com ACTH (realizar quando há histórico de tratamento com corticosteróides e para avaliação de tratamento):

1. Coletar a primeira amostra sanguínea;
2. Administrar 5 µg/kg IM de ACTH sintético logo após a coleta da primeira amostra sanguínea;
3. Coletar segunda amostra sanguínea 1h após administração do ACTH. Dosar cortisol nas 2 amostras sanguíneas.